PIRACICABA, QUARTA-FEIRA, 13 DE DEZEMBRO DE 2017 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

Antonio Cera Sobrinho



Antonio Cera Sobrinho
-
Médico
1903
24/11/2000

	Nascido em 1903 e falecido em 24/11/2000. Médico, farmacêutico, político, vereador. Casado com Hortência Silveira da Motta Cera, filhos: Laís, Antonio, Terezinha Elizabeth. Era filho de João Cera e Georgina Vanucci Cera. 

	Atuou inicialmente na cidade como farmacêutico. Formou-se pela faculdade Fluminense de Medicina em 1935 e desde então clinicou em Piracicaba, com consultório e residência a rua Rangel Pestana, 970. Estimado como medico de família e buscado tanto por gente humilde e deserdada da sorte, como por clientes com mais recursos, recebia a paga pelos seus serviços, muitas vezes, sob a forma de galinhas, porcos e produtos hortigranjeiros, segundo depoimento que prestou a Elias Netto. 

	Clinicou geral, cuidava de crianças, fazia partos e pequenas cirurgias. Passou a pertencer ao corpo clinico da Santa Casa de Misericórdia de Piracicaba logo após sua vinda a cidade, recém formado em medicina, respondendo pelo Ambulatório desta, no novo prédio recém construído na avenida Independência. A 26/08/1939 tornou-se piloto de aviação no Aero Clube de Piracicaba, dirigindo o avião “Piracicaba” após apenas oito horas de aprendizagem. 

	“Entusiasta decidido da aviação, piloto dos veteranos da cidade, nunca perdeu o entusiasmo pelo aero clube”. Desde 1942 foi varias vezes eleito como membro da diretoria do Aero Clube bis abis 40 e em 1962 elegeram-no para presidir a entidade. “Foi uma das figuras mais importantes da história do Aero Clube de Piracicaba e da aviação civil da cidade”, segundo Guidotti. Foi vereador de 1948 a 1951 e de 1952 a 1955 e um dos lideres locais do partido de Representação Popular, idealizado e fundado por Plínio Salgado. 

	O PRP local reuniu Cera e outros antigos partidários do integralismo, bem como novos adeptos dessa orientação. Em 1959 candidatou-se a prefeitura municipal, mas apesar de obter votação significativa, foi derrotado por Francisco Salgot Castillon, que se elegeu com o apoio de uma coligação de seis partidos. Fez parte do grupo de acionistas que criaram e mantiveram o jornal “Folha de Piracicaba”, diário político de posição ao prefeito Salgot Castillon, e foi presidente do E. C. XV de Novembro (1956-57, 1960-61)