PIRACICABA, SEXTA-FEIRA, 5 DE MARÇO DE 2021 Aumentar tamanho da letra
Página inicial  /  Webmail

Maria Benedita Pereira Penezzi



Maria Benedita Pereira Penezzi
Piracicaba (SP)
Advogada
19/07/1917
26/06/1985

	Nascida em Piracicaba em 19/07/1917 e falecida em 26/06/1985. Era filha de Augusto José Pereira e Escholastica Pereira e casada com Vicente Penezzi, com quem teve os filhos Escholastica, João, José, Lazaro, Marta, Narcisa, Thomas Augusto, Vicente Junior e Walkir.  

	Foi a primeira mulher eleita vereadora pelo voto popular direto em toda a história de Piracicaba, como candidata do Partido Social Progressista, nas eleições realizadas em 1955, sendo, dessa forma, a segunda mulher a ocupar uma cadeira na Câmara. Após cumprir seu primeiro mandato, foi reeleita cumprindo consecutivas legislaturas (1956-1959, 1960-1963, 1964-1968, 1969-1972), passando pelos partidos PSD e PSP.

	Concorria as eleições municipais de 1976 como candidata da Aliança Renovadora Nacional, quando a perda de um filho levou-a a desistir da candidatura. Denodada e corajosa, soube enfrentar os preconceitos em virtude de ser mulher, negra e de origens modestas. 

	Tinha mais de 50 anos de idade quando passou a estudar direito. Formou-se em 1975 pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Administrativas de Itapetininga. Diplomada, soube exercer com dignidade e dedicação a profissão de advogada, notadamente em favor de pessoas sem recursos. Participou ativamente de várias entidades, como o Clube de Lady Piracicaba, a Ordem dos Advogados do Brasil e a Sociedade Brasileira de Educação e Integração. 

	Os numerosos títulos e condecorações que recebeu incluem a Medalha do Bicentenário de Piracicaba, o título de Benemérita Perpétua do Clube da Lady, a medalha e o diploma Ana Nery, a medalha e o diploma Barão de Taquari, o diploma de Honra ao Mérito da Câmara Municipal de Piracicaba e o título e diploma de comendadora, pela Sociedade Brasileira de Educação e integração. 

	Em 1987 deu-se a inauguração da Praça Maria Benedita Penezzi, na confluência da avenida Dr. Paulo de Moraes com a rua Dr. Lula no acesso ao Castelinho. 

	A casa em que residiu, pertencente aos seu pais, na rua Tiradentes, esquina da rua Regente Feijó, foi tombada em 2000 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural. No local funcionou o Espaço Cultural Ditinha Penezzi.

	
	
Atualizado em: 28/02/2020.